Implantologia

Implantes

Os implantes dentários funcionam como raízes artificiais para substituir dentes ausentes ou perdidos e assim suportar coroas ou próteses.

Os implantes são feitos em titânio e são por isso perfeitamente biocompatíveis, quando em contacto com o osso fazem uma união biológica, saudável e estável pelo que não existe perigo de rejeição pelo organismo.

Os implantes constituem geralmente a opção terapêutica que permite uma reabilitação oral que mais se aproxima da dentição natural quer em termos fisiológicos quer em termos de conforto e estética.

Os implantes são uma solução para substituir um, vários ou todos os dentes.

 

Taxa de sucesso

A taxa de sucesso dos implantes situa-se na ordem dos 98% em pacientes de boa saúde oral e sistémica.

Naturalmente o sucesso depende de vários fatores, tais como: características anatómicas e fisiológicas dos pacientes e sues hábitos de higiene oral, tabágicos e outros…

No caso de perder um implante, pode sempre colocar outro sem que isso implique um risco acrescido de futuro fracasso.

 

Possíveis complicações durante o tratamento

Durante o acto cirúrgico as possíveis complicações sãs as mesmas de qualquer tratamento de cirurgia oral.
 
Todas estas complicações são pouco frequentes e facilmente evitáveis quando se procede a um estudo completo do caso clinico e com recurso a meios auxiliares de diagnóstico.

Depois da Reabilitação

Em termos funcionais os implantes comportam-se como dentes naturais, ou seja as pessoas que os têm não sentem como corpo estranho.

Em termos de ritmo de vida poderá fazer o que sempre fez mas com mais qualidade na medida em que em termos de mastigação e estética estará melhor.

Deverá no entanto ter em atenção que a duração a longo prazo destes tratamentos depende dos níveis de higiene oral e dos hábitos dos pacientes.

 

Implantes e outras condições sistémicas

O tratamento com implantes pode ser realizado em pacientes diabéticos desde que controlados do ponto de vista metabólico.

Em mulheres com osteoporose o tratamento também pode ser realizado podendo no entanto ser alvo de uma planificação específica.

No caso de tomar algum medicamento que interfira com os níveis de coagulação e de agregação plaquetária deverá informar o seu Médico Dentista, já que poderá haver a necessidade de proceder a alteração da medicação antes da colocação de implantes.

 

Protocolo de Carga Imediata

Com os últimos avanços na tecnologia e na investigação clinica permitem com muita fiabilidade a colocação de uma prótese provisória no mesmo momento em que são colocados os implantes.

A grande vantagem é o conforto que trará ao paciente enquanto aguarda pelos períodos de integração do implante no osso (osteointegração) que ronda em média as 8-12 semanas.

Aliás esta prótese e em tudo quase idêntica a prótese definitiva, exceto no material em que é confecionada. Após este período substitui-se esta prótese por uma definitiva mais adaptada á gengiva remodelada após a cirurgia e confecionada num material mais resistente, como cerâmica pura (zircónia) ou metalo acrílica (com barra fresada em titânio) e duradoura.

E é precisamente neste protocolo que nós acreditamos e defendemos sempre que possivel, pelo que aperfeiçoamos a técnica para que ao fim de 3 horas da colocação dos implantes, os nossos pacientes possam ter os seus dentes fixos.

Deste modo no fim da consulta o paciente pode ir para sua casa almoçar ou jantar e continuar o seu dia-a-dia de forma normal sem qualquer dificuldade apenas com mais qualidade de vida….

 

Caso 1

Caso 2

Caso 3

Caso 4



© 2016 by andit business and consulting